Arquivos diários: 27 de agosto de 2018


BOM EXEMPLO, MAU RESULTADO

Uma tradição nacional.

Ficar de costas para seus vizinhos.

Desconhecemos os acontecimentos latino americanos.

Estamos sempre de olhos voltados para o hemisfério norte.

Antes,mazombos saudosos da longínqua Europa.

A moda passou.

Agora, todos nostálgicos dos costumes norte-americanos.

Esquecem a complexidade do mundo.

As múltiplas realidades.

Algumas merecedoras de atenção.

Ainda agora, neste domingo, 26 de agosto, nossa vizinha, a Colômbia, oferece bom exemplo.

Os eleitores daquele País foram chamados a responder uma consulta popular.

O tema: a anticorrupção.

Exatamente isto.

O combate à corrupção não limitado à atividade de iluminados.

Tarefa de toda a sociedade.

Louvável o cidadão ser convocado a participar da luta contra a corrupção.

Perguntar a cada eleitor o que pretende fazer contra hábitos perversos.

Colombianos compareceram às urnas.

Responderam

“sim”ou “não”

às seguintes colocações:

 

1. Deve se reduzir o salário dos congressistas e altos funcionários do Estado.

2. Aplicar cadeia para os corruptos – sem possibilidade de reclusão especial – e proibição para voltar a contratar com o Estado. 

3. Contratações transparentes e obrigatórias em todo o País.

4. Rendas públicas aplicadas com a participação da cidadania.

5. Congressistas devem prestar contas de suas atividades, votações e ações.

6. Tornar públicas as propriedades e ingressos injustificados de políticos eleitos e retirar o domínio.

7. Limite para se manter no Poder: máximo 3 períodos em corporações públicas: Senado, Câmara Federal, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais.

 

Algumas destas medidas já se encontram previstas na legislação pátria.

Frise-se, o importante no caso:

Na Colômbia, a cidadania foi ouvida.

Aqui,há profundo temor da vontade popular.

Aplica-se, no Brasil, velho ensinamento.

Somos livres na hora de votar.

Permanecemos escravos durante o mandato de nossos representantes.

Exatamente isto.

Somos escravos durante largos períodos.

Os  titulares de mandatos eletivos – alguns quase eternos – tornaram a soberania popular uma farsa.

Consultas populares, nem pensar.

Os nossos mandatários populares imaginam agir junto a um povo de mentecaptos.

Sábios, só os eleitos.

O exemplo da Colômbia, ao realizar costumeiramente consultas populares, precisa ressoar nesta margem atlântica do Continente.

Ganharão as práticas democráticas.

Pena que os eleitores colombianos não conferiram quorum para a consulta.

Compareceram 11 milhões e seiscentos mil.

Não foi suficiente para aprovação das sete medidas.

 

 

 

 

Referências

DONACIONES (https://www.placetopay.com/vencealcorrupto2018).

Tradução livre do espanhol para as indagações.